Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 26, 2017

Sarau Virtual da AVL

Imagem
Olá amigos e amigas. Amanhã, dia 05 de março, será nosso Sarau Virtual da AVL. 


Peço que todos compartilhem e chamem os amigos pelo link do evento: https://www.facebook.com/events/391443327876984/

Bem vindo(a)s.

Crise nas livrarias: Insistindo no erro até encontrar o fracasso

Imagem
Haroldo Ceravolo Sereza*, 02/03/2017

A Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo | ©Divulgação
Vamos dar uma volta antes de falar da crise das livrarias? Acho que vale a pena.


Essa história é de quando eu trabalhava n’O Estado de S. Paulo,
no começo dos anos 2000. Poucos anos antes a direção do Jornal da Tarde
implementou um modelo de fazer jornalístico que exigia a figura do
“personagem”. No jargão jornalístico, “personagem” é uma pessoa comum
que “encarna” a notícia. Por exemplo, se há um crescimento no número de
pessoas que estudam japonês na cidade, o “personagem” a ser apresentado é
um típico paulistano da Mooca, preferencialmente com sotaque italiano,
que gosta de ler mangás originais. Ele vai explicar porque acha
importante ler mangá. A notícia ideal nesse modelo não é “cresce o
número de escolas de japonês” em São Paulo, mas “Antonio Carcamano está
aprendendo japonês para ler mangás”. Se a inflação está crescendo por
causa dos hortifrútis, a “personagem” é …

Informação, conhecimento e espiritualidade

Imagem
Informação, conhecimento e espiritualidade A Biblioteca Nacional no Rio de Janeiro contava em 1996 com 8 milhões de volumes, mais ou menos, e mantinha o posto de a 8ª. Biblioteca do mundo em importância. Por mais vasto que fosse ou que seja hoje o seu acervo não chega nem perto da infinidade de material disponível na web para todos, de uma forma ou de outra, gratuitamente, ou com acesso relativamente barato.  Como essa amplidão se reflete, em termos de espiritualidade, no homem contemporâneo? Primeiro é preciso pensar que tamanha informação disponível descortinou um sem número de questões filosóficas, místicas, espirituais, morais, éticas, humanas e de toda ordem, número, gênero e grau, em qualidade e quantidade, nunca vistas na história da humanidade.  Toda essa informação, devidamente apreendida por Universidades, pode vir a ser transformado em conhecimento.  Além disso, é fato que a descentralização do saber ocorre em passos largos não só pela informatização e pela rede mundial de …